quinta-feira, 31 de julho de 2014

ANA Holdings firmou-se um pedido para 30 aeronaves A320neo

ANA Holdings firmou-se um pedido para 30 aeronaves A320neo Família (sete A320neo e 23 A321neo). O acordo inicial foi anunciado em março de 2014. A aeronave fará parte da ANA Holdings desenvolvimento da frota e estratégia de modernização para substituir sua frota de corredor único existente nos próximos anos. As entregas começarão a partir de 2016. 
Shinichiro Ito, presidente e CEO da ANA HD disse: "A aeronave, selecionamos nos permitirá modernizar e expandir nossa frota ainda mais à medida que procuramos tornar-se um dos grupos de companhias aéreas líderes mundiais. Estes novos aviões nos dará o máximo de flexibilidade e melhor eficiência de combustível e nos permitirá atender ao crescimento da demanda, tanto internacionalmente como no nosso mercado doméstico japonês. "
"Estou muito feliz em recebê-ANA como primeiro cliente japonês do A320neo, e ver o crescente relacionamento entre as duas empresas", disse Fabrice Brégier, Presidente e CEO da Airbus. "Além de ANA levando benefícios de eficiência e confiabilidade do A320neo, o negócio também acelera expansão da Airbus no Japão - um dos nossos principais ambições para a próxima década". 
Na seleção do A320neo, a ANA está a investir no melhor da sua classe, garantindo excelente conforto de cabine, bem como a eficiência operacional. Família A320neo da ANA será equipado com motores Pratt & Whitney PW1100G-JM. 
Aero Engines japoneses Corporation (JAEC) é um parceiro colaboração de 23% no programa PW1100G-JM. JAEC é responsável pelo desenvolvimento, fabricação e suporte de engenharia do ventilador, compressor de baixa pressão, câmara de combustão, e os eixos de baixa pressão. JAEC é um consórcio, composto por três empresas japonesas: IHI (65%), a Kawasaki Heavy Industries (25%) e Mitsubishi Heavy Industries (10%). 
A montagem da primeira A320neo da Airbus foi concluída após a pintura da aeronave ea montagem de motores PW1100G-JM. Ele irá em breve começar testes em solo para se preparar para o primeiro vôo. A campanha de ensaios em vôo para o A320neo kick-off no 3 º trimestre de 2014, abrindo o caminho para a entrada em serviço no 4 º trimestre de 2015. 
O A320neo - para "opção de motor novo" - incorpora muitas inovações, incluindo mais recentes motores de geração e grandes dispositivos de ponta de asa Sharklet, que, juntas, oferecem 15 por cento na economia de combustível e uma redução de 3.600 toneladas de C02 por aeronave por ano. Com um total de mais de 3.000 ordens recebidas de mais de 50 clientes desde o seu lançamento em 2010, a Família A320neo conquistou mais de 60 por cento do mercado, demonstrando claramente a sua liderança.

Gol faz primeiro voo internacional com biocombustível

 A Gol realizou o primeiro voo internacional com biocombustível, partindo de Orlando, com destino a Santo Domingo e São Paulo. O voo foi em um Boeing 737-800 NG, abastecido com combustível renovável, derivado da cana-de-açúcar. O abastecimento do voo G3 7725 foi composto por uma mistura com 10% do combustível renovável a partir da cana-de-açúcar, produzido pela Amyris em Brotas, interior de São Paulo, e 90% de combustível fóssil.“Este ano a Gol consolidou importantes projetos relacionados ao seu compromisso com a sustentabilidade do setor. Operamos o primeiro voo do Aeroporto Tancredo Neves, em Confins (MG) abastecido com biocombustível, concluímos 200 voos verdes iniciados na Copa do Mundo e agora somos a primeira aérea brasileira a realizar um voo internacional com combustível renovável e, além disso, derivado da cana-de-açúcar brasileira”, destaca o diretor Técnico Operacional da Gol, Pedro Scorza. Ao longo de 2013, com medidas para redução de consumo de combustível, a Gol deixou de emitir mais de 12 mil toneladas de carbono. A meta é ter 1% de combustível renovável na frota da Gol até 2016.

Lufthansa reforça Frankfurt - Luanda a partir de meados de Setembro

A Lufthansa confirmou hoje em Lisboa que a partir de meados de Setembro reforça a rota Frankfurt - Luanda com mais um voo por semana, às segundas-feiras do seu maior hub na Alemanha, operado como as ligações às quintas e Domingos em Airbus A340-300.
De acordo com a imprensa especializada internacional, o reforço da rota de Luanda, que a Lufthansa começou a operar em Abril de 2008 chegou a estar previsto 8 de Julho, mas esse plano foi cancelado em Maio.
A informação divulgada hoje em Portugal indica que o reforço ocorre a partir de 16 de Julho, mas de acordo com websites especializados em aviação e o próprio website da companhia, a nova ligação das segundas-feiras (LH560) já está disponível a 15 de Setembro, com partida de Frankfurt às 22h05 e chegada a Luanda às 5h30 do dia seguinte, o mesmo horário dos voos que partem às quintas-feiras e aos Domingos.
Para o regresso de Luanda, os voos são às segundas e sextas-feiras às 22h05, com chegada a Frankfurt às 7h30 do dia seguinte, e às terças às 23h30, com chegada a Frankfurt às 9h00 do dia seguinte.
A informação divulgada em Portugal pela Lufthansa indica que para os passageiros do mercado português que queiram voar com a companhia para Luanda via Frankfurt as opções são o LH1169 de Lisboa às 16h05 às segundas, quintas e Domingos, o LH1179 do Porto às 16h15 também às segundas, quintas e Domingos e o LH 1163 de Faro às 12h55 às quintas e Domingos.
De Luanda, as melhores conexões em Frankfurt são, para Lisboa, o LH1166 às segundas e sextas e o LH1168 às terças, com chegadas respectivamente às 11h10 e às 15h00 do dia seguinte à saída da capital angolana, para o Porto o LH1176 às segundas e sextas e o LH1178 às terças, com chegadas respectivamente às 10h40 e às 15h15 do dia seguinte ao da partida de Luanda, e para Faro é o LH1162 às segundas e sestas, com chegada às 12h00 do dia seguinte ao da partida.
O website da companhia indica que saindo de Lisboa no LH1169 o tempo estimado para a chegada a Luanda é de 13 horas e 25 minutos, com três horas para o voo até Frankfurt, duas horas no aeroporto e oito horas e 25 minutos para o voo até Luanda.
De Luanda com a ligação no LH116 entre Frankfurt e Lisboa o tempo de viagem estimado é de 13 horas e 15 minutos, com oito horas e 30 minutos para o voo até de Angola até à Alemanha, 1h45 no Aeroporto e três horas para o Frankfurt - Lisboa.
Os preços indicados no website para o Lisboa -Frankfurt - Luanda no dia 15 de Setembro com o LH1169 no trecho até ao hub na Alemanha são 388,86 euros em “Economy Saver”, 508,86 em “Economy Basic”, 843,86 em “Economy Basic Plus” e 1.268,86 em “Economy Flex”. Para os regressos a 22 de Setembro, com a ligação a Lisboa no LH1166, os preços nessas classes são, respectivamente, 405,57, 525,57, 860,57 e 1.286,57 euros.
O comunicado divulgado em Portugal salienta, adicionalmente, a aposta da Lufthansa em melhorar a sua Business Class, indicando que tera “um toque mais pessoal no serviço e maior flexibilidade em termos de processos na sua globalidade”, por forma a que os passageiros se sintam “mais mimados do que nunca”.
A informação diz também que “o actual serviço de bordo nas rotas de longo curso será melhorado com a introdução de um serviço com assinatura” por forma a que os passageiros se sintam como “num restaurante de topo”, acrescentando que esse novo serviço será testado o Verão “e, se tiver êxito, será implementado em toda a rede de longo curso a partir de 2015”.
O Verão de 2015 é, por outro lado, o prazo que o comunicado indica para a companhia completar a remodelação da frota de longo curso, sem deixar de salientar que “são cada vez mais os aviões a operar com a nova Business Class” e de referir que a companhia contará com “7.000 assentos que se transformam em cama totalmente horizontais” em 106 aviões.
O comunicado assinala ainda que a companhia tem encomendados 295 aviões, “com um valor estimado em mais de 36 mil milhões de euros e com entrega prevista até 2025”, e, também, que recentemente a Lufthansa apresentou a sua nova Premium Economy Class, que estará disponível em toda a frota de longo curso no prazo de doze meses, a que se seguirá “o melhoramento das nossas First e Business Class”, porque, diz, tem como objectivo ser “uma companhia aérea de 5-estrelas”.



Fonte:presur

Movimento no Aeroporto de Guaruhos cresceu 12,9%

São Paulo - O Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos (GRU Airport) registrou um aumento de 12,9% na movimentação de passageiros no primeiro semestre deste ano.
Entre janeiro e junho, 19,111 milhões de usuários embarcaram ou desembarcaram no aeroporto. Em 2013, este número foi de 16,926 milhões, no mesmo período.
Em junho, 3,095 milhões de pessoas viajaram por Guarulhos, número 8,3% superior ao mesmo mês do ano anterior, quando esse total chegou a 2,859 milhões de usuários.
Na soma dos primeiros seis meses deste ano, o GRU Airport realizou 148.221 operações de pousos e decolagens, crescimento de 9,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram realizadas 135.670 atividades aéreas.

Apenas no mês de junho houve um aumento de 7,8% no total de voos realizados na comparação com 2013. Foram 24.190 procedimentos realizados contra 22.437 registrados em maio de 2013.

EMBRAER DIVULGA OS RESULTADOS DO 2º TRIMESTRE DE 2014


No 2º trimestre de 2014 (2T14), a Embraer entregou 29 aeronaves comerciais e 29 aeronaves executivas (sendo 22 jatos leves e 7 jatos grandes);
- A carteira de pedidos firmes (backlog) fechou o trimestre em US$ 18,1 bilhões;
- Como resultado das entregas de aeronaves bem como da crescente receita na área de Defesa & Segurança, a Receita líquida atingiu R$ 3.928,5 milhões no 2T14, um crescimento de 21% em relação ao 2T13. No acumulado do primeiro semestre de 2014 (1S14), a receita líquida atingiu R$ 6.857,3 milhões, representando um crescimento de 27% em relação ao primeiro semestre de 2013 (1S13);
- As margens EBIT  e EBITDA² atingiram 10,6% e 14,8% respectivamente no 2T14 e no 1S14 foram de 9,2% e 13,7%, respectivamente;
- O Lucro líquido atribuído aos acionistas da Embraer foi de R$ 319,8 milhões no 2T14, e o Lucro por ação foi de R$ 0,4365. No 1S14 esses valores atingiram R$ 578,5 milhões e R$ 0,7895, respectivamente;
- Permanecem inalteradas as estimativas da Companhia para 2014, publicadas em fevereiro, relativas à performance financeira e às entregas de aeronaves comerciais e executivas. 



ASSESSORIA DE IMPRENSA

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Farnborough 2014: Boeing supports aviation’s future with Schools Build-a-Plane Challenge

A350 XWB test aircraft receives special “Carbon” livery

TAP mantém confiança dos passageiros com crescimento de 10% em Julho

A TAP transportou entre 1 e 27 de Julho um total de 1.025.934 passageiros, com um aumento em 10% relativamente ao período homólogo de 2013, que contraria a ideia de descalabro da operação e perda de clientes que transparecia em muito do que se disse e escreveu nos últimos dias.

Depois de ontem o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, em declarações à SIC Notícias ter avançado que a TAP teve um crescimento em 10% no primeiro semestre, fontes da companhia avançaram ao PressTUR que esse ritmo não abrandou em Julho, especificando que no dia 27, por exemplo, o aumento foi em 12%. 
As mesmas fontes avançaram também que não só a TAP teve mais passageiros, como conseguiu manter a taxa de ocupação dos voos (medidas em RPK/ASK) acima dos 84%, em 84,1%, significando que em passageiros ponderados pelas distâncias voadas teve um crescimento em linha com o aumento de capacidade (em lugares x distâncias voadas). 
A TAP, através do CEO, Fernando Pinto, já reconheceu que a companhia teve que fazer reprogramações de voos, em consequência da coincidência de um conjunto de situações, que vão desde problemas técnicos em aviões (em Belém e Brasília, por exemplo), a perturbações da navegação aérea (em França e na Bélgica), atrasos na recepção dos seis novos aviões, atraso na formação de novos pilotos e a greve de zelo dos pilotos. 
Estas situações são geralmente resolvidas pelas companhias aéreas através de ACMIs (alugueres que incluem aviões, tripulações, seguros e manutenção), pelos quais outras companhias realizam os voos que programaram mas não podem efectuar, só que para isso é preciso que haja disponibilidade no mercado e com o Mundial de Futebol do Brasil esse foi precisamente o mercado mais aquecido, levando a escassez de alternativas. 
Ontem, na entrevista à SIC Notícias, Sérgio Monteiro também não ‘passou a esponja’ sobre a situação, mas tratou-a como “dores de crescimento”, “um problema que deriva de uma situação positiva”, cujo “segredo” é que não deixe de ser uma situação pontual. 
Sérgio Monteiro, aliás, exemplificou que “hoje [ontem] a TAP não teve problemas de grande monta e a British Airways, por exemplo, teve 4% dos voos cancelados". 
Poucas horas antes, já Fernando Pinto tinha afirmado que “todas as empresas passam por épocas difíceis” e o presidente da APPLA, Miguel Silveira, em entrevista ao “Correio da Manhã”, tinha afirmado que “no pico do Verão quando tudo corre bem devemos todos ficar estupefactos”, porque “é muito complicado articular todas as componentes do transporte aéreo”. 
O CEO da TAP também se empenhou em explicar que o que foi tomado por cancelamentos, aliás pela própria comunicação da companhia, afinal foi um “erro de interpretação”, porque se tratava apenas uma indicação para as agências de viagens de que esses voos tinham sido reprogramados e os clientes deveriam ser alertados. 
O que se passou, disseram ao PressTUR fontes da TAP, foi que perante as situações que estavam criadas, a companhia fez uma reprogramação dos voos, que ainda terá efeitos em Agosto, em que ainda serão realizados fretamentos mesmo depois de a companhia ter feito um ligeiro ajustamento em baixa do seu programa inicial. 
Foi essa acção que Fernando Pinto revelou ontem ao afirmar à imprensa: “O que nós fizemos foi uma reestruturação em todo o nosso sistema de linhas e esses voos não foram voos cancelados. Foram voos que nem foram para o sistema”. 
Mas mais do que os 40 a 50 cancelamentos da última semana, o que sobressaiu da parte de vários comentadores nos últimos dias foi uma imagem da TAP como uma companhia que sofre da ‘praga dos cancelamentos’, quando é, nesse aspecto, uma das companhias da AEA com melhor índice, com 3,1 cancelamentos/dia em 2013 e 2,0 nos primeiros cinco meses deste ano, face a uma média de 3,5 cancelamentos/dia do conjunto das companhias da Associação. 
As fontes do PressTUR admitiram que o índice ‘disparou’ na primeira quinzena de Julho, mas salientaram que na última semana, em que a polémica atingiu o auge, o índice já tinha recuado para 3,0. 
“Os índices de voos cancelados estão muito abaixo até da nossa média normal”, dizia ontem Fernando Pinto, que anunciou o regresso da companhia “à plena normalidade”, embora já seja conhecido que no dia 9 sofrerá o impacto da greve convocada pelo sindicato dos pilotos (SPAC). 
Situação diferente é a da pontualidade, em que a TAP está mal cotada a nível internacional, mas que é um problema que só é resolúvel envolvendo a companhia e os aeroportos, designadamente o hub de Lisboa, bem como a gestão de tráfego aéreo. 
Fontes da aviação comentaram que há tendência, afirmada por exemplo pelo presidente do SPAC, de considerar que se trata do resultado do que chamou “inchar” a companhia com vista à privatização, quando, contrapõem as fontes do PressTUR, o que se passa é que, como em todos os negócios, a oportunidade como os rios não passa duas vezes sob a mesma ponte e na aviação tudo é a alta velocidade. 

fonte:presstur

terça-feira, 29 de julho de 2014

A350 XWB rota prova: Europa-Canadá através do Pólo Norte

Voos da América Latina para o Brasil crescem 20% em junho e julho

De acordo com levantamento realizado pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), o número de voos estrangeiros para o Brasil aumentou 14% em junho e julho, meses em que foi realizada a Copa do Mundo FIFA 2014, na comparação com igual período do ano passado. Por região, o maior crescimento foi registrado nos voos com origem na América Latina, com alta de 20% - passaram de 1.226 para 1.472 voos no período. “O aumento do número de voos em países vizinhos reforça nossa estratégia de investir no turismo intrarregional para elevar o receptivo de turistas internacionais do Brasil a um novo patamar”, comemorou o presidente da Embratur, Vicente Neto.

Entre as cidades, Santiago do Chile foi a que registrou o maior crescimento, de 92,8%. Passou de 125 para 241 voos na comparação de junho/julho deste ano com os mesmos meses do ano passado. O número de voos de Buenos Aires passou de 488 para 521 no mesmo período, uma alta de 6,76%. Mas, entre os 166 mil argentinos que vieram ver jogos de sua seleção no Brasil, parte importante entrou no Brasil por via terrestre.

Os dados mostram ainda que cresceu o número de voos para o Brasil saindo de Lima, que passou de 82 para 112, com alta de 36%; da Cidade do México, subiu de 16 para 28, com crescimento de 75%; e Montevideo, de 26%, de 100 para 126 voos no período. Também houve 6 voos diretos de Quito (Equador) em junho e julho deste ano - em 2013 não foram registrados voos diretos dessa cidade para o Brasil. Embora o país tenha recebido 49 mil visitantes da Colômbia, o total de voos com saída de Bogotá teve uma queda de 7,8%, de 64 para 59 no período.

No período da Copa, o número total de voos estrangeiros para o Brasil cresceu 14%. Passou de 2.368 nos meses de junho e julho, em 2013, para 2.698 no mesmo período deste ano. Os voos com origem em países da América do Norte subiram 4,1%, de 487 para 507. Mas algumas cidades tiveram, percentualmente, um aumento maior: 300% para os procedentes de Los Angeles (subiram de 6 para 24); 20,46% dos que partiram de Miami (210 para 253); de 7,29% em Nova Iorque (de 96 para 103); e de 33% em Atlanta (42 para 56).

Entre os voos com origem em países da Europa, que passaram de 487 para 407 no período da Copa, aqueles com saída de Lisboa cresceram 8,27% (133 para 144); os que vieram de Madri aumentaram 20% (de 64 para 77); e aqueles que partiram de Roma subiram 18% (de 27 para 32).

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Farnborough 2014: Boeing entra em grandes Wide Open

Boeing continuou a ganhar impulso em 2014 Farnborough Airshow terça-feira, julho 15, 2014, como a empresa reforçou a sua posição no mercado de aviões comerciais de corredor duplo e destacou programas de defesa chave.


Brasil compra três aviões C-295 de busca e resgate da Airbus

Madri - O governo assinou um contrato para adquirir três aviões C-295 da Airbus para tarefas de busca e salvamento (SAR) que começarão a ser entregues no final deste ano.

A Airbus informou que o acordo inclui também um contrato de apoio integral em condições operativas com cinco anos de duração.
Estes três aviões SAR, que serão montados na unidade da Airbus de Sevilha, Defence and Space, na Espanha, se unirão aos 12 C-295 atualmente em serviço na Força Aérea brasileira, que são unidades de transporte.
O diretor comercial de Aviação Militar da Airbus Defence and Space, Antonio Rodríguez Barberán, afirmou que "este pedido adicional nos orgulha, pois não só reflete a grande confiança que o Brasil deposita em nossa família de aviões leves e médios, mas também a excelência comprovada do C-295 em missões SAR".
O Airbus entregou à força Aérea Brasileira o último dos nove P-3 Orion de guerra antissubmarino, aviões modernizados com novos sistemas, que foi transportado de Sevilha a Salvador.
A Força Aérea brasileira possui também um simulador de voo integral deste modelo de avião na base aérea de Manaus, que oferece total autonomia na formação das tripulações.

Segundo a Airbus, até o momento, 19 países já encomendaram mais de 140 C-295.

United anuncia US$919 milhões de receita no 2ºT de 2014

A United Airlines (UAL) divulgou hoje a receita líquida do segundo trimestre de 2014, lucro líquido de US$919 milhões, um aumento de 51% no ano, ou US$2,34 por ação diluída, excluindo US$130 milhões de encargos especiais. Incluindo os encargos especiais, a UAL anunciou uma receita líquida para o segundo trimestre de 2014 de US$789 milhões, ou US$2,01 por ação diluída.

"Sinto-me encorajado pelo progresso contínuo que fizemos no segundo trimestre. Nossa equipe está focada em melhorar nossas operações e serviços e no crescimento contínuo ano a ano do desempenho das receitas e controle de custos", disse Jeff Smisek, presidente do conselho, presidente e diretor executivo da UAL. "O programa de recompra de ações no valor de US$1 bilhão anunciado hoje demonstra o nosso progresso e o compromisso em aumentar o valor para nossos acionistas e a confiança que temos em nosso plano de crescimento".

GOL vai às alturas na Bolsa e lidera ganhos em julho

São Paulo – As ações preferenciais da GOL avançavam 7,14% na máxima desta segunda-feira e lideravam os ganhos na Bovespa.
Os dados operacionais anunciados hoje foram bem recebidos pelos investidores. Os números são referentes ao mês de junho e acumulados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014.
No sistema total, a taxa de ocupação (load factor) ficou em 74,9% em junho de 2014, alta de 4,4 pontos porcentuais na comparação com junho de 2013. No segundo trimestre, a taxa foi de 75,2%, alta de 7,4%, e de 75,7% no acumulado dos seis primeiros meses do ano, crescimento de 8,2%.
Ainda em relação aos mesmos períodos do ano passado, a demanda do sistema total (RPK) cresceu 1,1% em junho, 5,9% no segundo trimestre e 10,5% no total do primeiro semestre de 2014. Já a oferta (ASK) caiu 4,8% em junho, 4,6% no segundo trimestre e 1,5% de janeiro a junho de 2014.
“O resultado operacional da Gol em junho confirmou nossas expectativas de que a companhia não seria tão negativamente impactada pela redução da demanda corporativa em razão da Copa do Mundo”, afirma Mário Bernardes Junior, analista do BB Investimentos.
O analista reiterou sua recomendação de compra para as ações da GOL. O preço-alvo é de 15,50 reais para dezembro de 2014.

No acumulado do mês, as ações da GOL também lideram as valorizações do Ibovespa, com uma alta de 25,6%. Em 2014, os ganhos somam 44%.

Emirates já é a maior em Lisboa das companhias não europeias

A Emirates destronou a angolana TAAG como maior companhia não europeia a voar de e para Lisboa, por um aumento do número de passageiros embarcados e desembarcados em 30,6% ou 23,9 mil, para 102,1 mil passageiros, enquanto a angolana teve +6,1% ou mais 5,3 mil, para 93,2 mil.A Emirates cotou-se, aliás, como a companhia que teve o sexto maior aumento do número de passageiros em Lisboa no primeiro semestre, depois da TAP e do ‘contingente’ das maiores low cost europeias — Ryanair, Transavia.com, Vueling e easyJet.
O sétimo maior aumento de passageiros foi da White, companhia de voos charters do grupo Omni, com 23,1 mil, mas neste caso, como no da Ryanair, porque no primeiro semestre não operou de e para o Aeroporto de Lisboa.
Seguiu-se mais um caso de uma companhia com uma operação reduzida no primeiro semestre de 2013, a low cost norueguesa Norwegian, que este ano, com 28,2 mil passageiros, apresenta um aumento em 193,1% ou 18,5 mil, e o nono maior aumento, em 15 passageiros, é também de uma companhia que no primeiro semestre de 2013 tinha uma operação reduzida, a norte-americana US Airways, com mais 15 mil (+105,3%, para 29,2 mil).
Apenas o 10º maior aumento de passageiros em Lisboa é de uma companhia ‘tradicional’, a espanhola Iberia, com mais 14,4 mil (+9,6%, para 165,1 mil), evidenciando a sua recuperação depois de quedas nos últimos anos.
Seguem-se os aumentos da Turkish, em 11,5 mil passageiros (+23,5%, para 60,6 mil), da Luxair, em 9,9 mil (+de 200%, para 9,9 mil), Royal Air Maroc, em 30,6% ou mais 7,9 mil, para 33,7 mil, e KLM, com mais 6,7% ou mais 7,2 mil, para 115,1 mil.
Mas o semestre não foi apenas um somatório de aumentos, pois entre as 40 maiores companhias em passageiros transportados de e para Lisboa no primeiro semestre contam-se nove com quedas, a maior das quais da Swiss, em 17,3 mil (-20,9%, para 65,7 mil).
Seguiram-se as quedas da Aigle Azur, em 14,8 mil (-21,9%, para 14,8 mil), da SATA Internacional, em 13,5 mil (-7,6%, para 164,1 mil), e da British Airways, em 9,5 mil (-7,1%, para 124,6 mil).

Gol registrou taxa de ocupação de 74,9% em junho

São Paulo - A Gol Linhas Aéreas Inteligentes divulgou nesta segunda-feira, 28, os dados operacionais referentes ao mês de junho e acumulados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014. Os dados são comparados aos mesmos períodos de 2013.
No sistema total, a taxa de ocupação (load factor) ficou em 74,9% em junho de 2014, alta de 4,4 pontos porcentuais na comparação com junho de 2013. No segundo trimestre, a taxa foi de 75,2%, alta de 7,4 pontos porcentuais, e de 75,7% no acumulado dos seis primeiros meses do ano, crescimento de 8,2 pontos porcentuais.
Ainda em relação aos mesmos períodos do ano passado, a demanda do sistema total (RPK) cresceu 1,1% em junho, 5,9% no segundo trimestre e 10,5% no total do primeiro semestre de 2014. Já a oferta (ASK) caiu 4,8% em junho, 4,6% no segundo trimestre e 1,5% de janeiro a junho de 2014.
Mercado doméstico e internacional
No mercado doméstico, a taxa de ocupação atingiu 75,7% em junho, o que representa uma expansão de 3,5 pontos porcentuais ante 2013. No segundo trimestre, a taxa atingiu 76%, alta de 7,0 pontos porcentuais, e ficou em 76,4% no acumulado do primeiro semestre, avanço de 7,9 pontos porcentuais.
A demanda doméstica (RPK) caiu 1,9% em junho, mas apresentou avanços de 3,5% e de 9,0% no total do segundo trimestre e primeiro semestre, respectivamente.
Já a oferta doméstica (ASK) apresentou recuos em junho, de 6,5%, de abril a junho, de 6,0%, e no acumulado dos seis primeiros meses do ano, de 2,2%.
No mercado internacional, a taxa de ocupação ficou em 69,7% em junho de 2014, o equivalente a um avanço de 12,3 pontos porcentuais ante junho de 2013. De abril a junho, a taxa ficou em 69,4% e de janeiro a junho foi de 70,4%.
Na comparação com períodos equivalentes de 2013, a demanda internacional (RPK) elevou 32,4% em junho, 30,2% no segundo trimestre e 23,8% no primeiro semestre. Já a oferta internacional (ASK) apresentou crescimento de 8,9% no mês passado, alta de 7,4% no segundo trimestre e avanço de 4,3% no total dos seis primeiros meses deste ano.
A Gol informou ainda que o novo nível de taxa de ocupação, combinado ao contínuo crescimento do yield, que apresentou aumento de quase 15% no segundo trimestre de 2014, impulsionou um crescimento de PRASK de aproximadamente 27% na comparação anual, "reiterando o novo patamar de execução da companhia".

Durante a Copa do Mundo, a Gol operou 28 mil voos comerciais e transportou 3,4 milhões de clientes, com taxa de ocupação de 81,2% no período de 12/06/14 a 14/07/14.

Recepção em Seattle - 777-300 ER "EBO" da TAAG - Linhas Aéreas de Angola












Fotos da viagem a Seattle para a recepção da aeronave da TAAG, esta aeronave possibilita a consolidação das rotas existentes e a abertura de novas rotas. Esta aeronave do tipo 777-300 ER tem funções de chamadas e internet a bordo, entre os seus principais benefícios. Desde esta data a TAAG passou a ser a maior operadora africana de BOEING´s 777

Airbus A350 XWB chega em Hong Kong pela primeira vez.




Aviões do mundo o mais novo mais moderno e eficiente, o Airbus A350 XWB, desembarcou pela primeira vez no Aeroporto Internacional de Hong (Hkai) mais cedo hoje.
A aeronave, MSN 005, é um dos cinco protótipos A350 utilizados para a realização de ensaios completos de teste e desenvolvimento de vôo. aeronave tem que voar um cronograma companhia aérea representante, demonstrando sua maturidade para as operações aéreas. Esta rota comprovando o exercício é o último dos ensaios necessários para a Certificação de Tipo, o que é esperado em setembro deste ano. A aeronave será operada pela Airbus tripulações .
Para a sua visita à Ásia, o A350 MSN 005 chegou diretamente em Hong Kong a partir de Toulouse, na França e irá realizar testes quentes e úmidos cruciais semelhantes às operações aéreas normais na região. A aeronave irá realizar uma série de voos de alta freqüência entre Hong-Kong e Cingapura ao longo de três dias antes da partida de volta para Toulouse na quinta-feira 31 ª julho.
Airbus A350, então, partem para Joanesburgo, África do Sul, no sábado, 2 ª de agosto. World Tour do A350 começou em 24 de julho ª e envolve uma série de testes em quatro diferentes viagens. Ele vai visitar 14 aeroportos em todo o mundo e terminará em 13 de Agosto ª . 

Tam lança campanha Viaje Mais para o segundo semestre

A Tam está com nova campanha publicitária no ar. É a promoção Viaje Mais para destinos na América do Sul e México, um dos pilares da nova campanha de Marketing da companhia para o segundo semestre junto com a já tradicional Megapromo. “Nossa estratégia para essa fase atual é focada em ações de varejo mais qualificadas para construirmos uma identidade promocional com consistência e diferenciação, mas de fácil assimilação pelos nossos consumidores”, comenta Eduardo Costa, diretor de Marketing da companhia aérea.

A estratégia de Marketing para o período promete dar continuidade ao plano do primeiro semestre, iniciado com a campanha “Bem Vindo, Mundo”, divulgada antes e durante a Copa. Veiculadas em canais de TV aberta e sites, as promoções Viaje Mais Tam possuem descontos atrativos e a possibilidade de viajar no médio prazo.

Costa destaca que o objetivo da companhia com a campanha é fazer com que os clientes passem a conhecer novos destinos mesmo fora da época de férias. “Nossa ideia é fazer um convite para que as pessoas realmente viajem mais e aproveitem também os feriados e finais de semana para conhecerem o Brasil e outros países”, afirma Costa.

Os filmes e banners da Viaje Mais seguem sob o conceito “Um mundo por você” e são focados em quem está pensando em viajar. Os vídeos, criados pela agência Y&R, enfatizam os destaques dos destinos para inspirar os clientes e trazem um olhar mais amplo dos personagens e lugares, com enfoque de câmeras também diferenciado e inovador, de baixo para cima.


Panrotas

sábado, 26 de julho de 2014

Caracas Cedeu – Voos Retomados Entre Venezuela E A Ilha De Aruba

Foram retomados hoje, sábado, dia 26 de Julho, os voos entre a ilha de Aruba e a Venezuela, que estavam canceladas desde ontem, sexta-feira, depois do INAC venezuelano ter proibido todas as operações aéreas de e para aeroportos das Antilhas Holandesas.
O ministro da Justiça do governo autónomo de Aruba disse às agências noticiosas internacionais que esteve reunido durante algumas horas com o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros de Venezuela, e que ambos tinham analisado o grande incómodo que a medida causaria se se mantivesse, pois estão muitas centenas de viajantes para ser transportados neste fim-de-semana.
Nesta manhã de sábado três companhias aéreas de Venezuela – Laser Airlines, Aserca Airlines y Avior Airlines – anunciaram que iriam retomar os voos e inclusive fazer algumas ligações extraordinárias para poderem levar de regresso a Venezuela os passageiros que tinham ficado retidos ontem em Aruba.
A situação foi desencadeada após a Holanda, país que administra as Antilhas Holandesas, ter ordenado a detenção do general Hugo Carvajal, antigo director dos serviços secretos militares no tempo do falecido Presidente Hugo Chávez Frias, que os EUA pretendem levar a tribunal acusado de estar ligado ao narcotráfico e de ter cooperado com as FARC, organização considerada terrorista por Washington, e que luta contra o Governo da Colômbia.
Hugo Carvajal tinha sido nomeado cônsul-geral da Venezuela em Aruba e já estava na ilha a aguardar as credenciais para ocupar funções diplomáticas. Sem creditação na mão expôs-se demasiado e acabou detido como um cidadão comum sobre quem impede um mandato internacional de captura.
Desconhece-se se a medida do levantamento das sanções ordenadas pelo INAC, a mando do Governo de Nicolás Maduro, se destina apenas a escoar os passageiros que não estavam avisados, ou se houve cedência e os voos irão continuar como até sexta-feira passada. Também não se sabe o que está decidido em relação a outras ilhas do arquipélago das Antilhas Holandesas.
NEWSVIA

Cade aprova participação acionária da ECT em linha aérea

Brasília - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição de 49,99% das ações da empresa de transporte aéreo de cargas Rio Linhas Aéreas pelos Correios. Despacho do Cade com essa avaliação foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, dia 25.

Em nota, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) cita que "o despacho do Cade representa mais uma etapa para a concretização da parceria, que está condicionada ainda à aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), além de outros órgãos federais (Ministério da Fazenda, Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e Ministério das Comunicações)".
A ECT explica que o objetivo é ter uma empresa para realizar o transporte aéreo da carga postal, hoje feito por meio de 13 linhas aéreas contratadas na Rede Postal Noturna (RPN). Atualmente, essa rede transporta 500 toneladas por dia, ao custo de R$ 500 milhões por ano.

A revisão do modelo de operação da RPN ainda atende às recomendações dos órgãos de controle, ou seja, Tribunal de Contas da União (TCU) e Controladoria Geral da União (CGU), no sentido de que os Correios buscassem alternativas para realizar o transporte aéreo de carga, argumenta a empresa. A Rio Linhas Aéreas já é responsável pelo atendimento de cinco linhas da RPN, segundo os Correios.

Anac publica novas regras para distribuição de slots

Portaria publicada ontem no Diário Oficial da União pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estabelece as novas regras a serem seguidas pelos aeroportos para fazer a distribuição dos horários de pousos e decolagens dos aviões – os chamados slots. Ao definir regras para a alocação dos horários de saída e chegada dos aviões, a resolução pretende garantir a eficiência e o bom uso da infraestrutura dos aeroportos, de forma a evitar a ocorrência de atrasos e minimizar os efeitos da saturação da infraestrutura aeroportuária e aeronáutica.

Segundo o documento, os aeroportos de grande porte que estiverem saturados, a ponto de comprometer a utilização dos “componentes aeroportuários críticos” – pista, pátio ou terminal – poderão ser declarados “coordenados” pela Anac. Essa declaração perdurará enquanto vigorar a situação que a motivou, e seu cancelamento dependerá de “expressa manifestação da Anac”.

A resolução considera como “operação pontual” aquela em que o horário de partida ou chegada “desvie em até 30 minutos do slot alocado na base de slots vigente”.

DA AGÊNCIA BRASIL

AIRLINES HOLDINGS Avianca transportou mais de 2 milhões de passageiros

Em junho de 2014, da Avianca Airlines Holdings SA moveu 4,9% mais passageiros do que em Junho de 2013.
No primeiro semestre deste ano, as controladas da Holdings SA Avianca transportou 12,4 milhões de passageiros.
Empresas subsidiárias da Avianca Holdings SA (NYSE: AVH) (BVC: PFAVH) (*) mobilizaram durante o mês de junho de 2'120 .689 passageiros, 4,9% a mais que em junho de 2013 realizados Capacidade viajante medido. ASK (assentos disponíveis por quilômetro voado) aumentou 4,2%, enquanto o tráfego de passageiros medido em RPK (passageiros por quilômetro voado pagamentos) aumentou 3,1%. A taxa de ocupação foi de 79,9%.

Durante o período de janeiro a junho de 2014, as subsidiárias de passageiros Holdings Avianca mobilizados 12'468 .037, registrando um aumento de 4,6% em relação ao mesmo período de 2013. Capacidade, medida em ASK (assentos disponíveis por quilômetro voado) aumentou em 4,9 %, enquanto o tráfego de passageiros medido em RPK (passageiros por quilômetro voado) pagamentos subiu 3,3%. Como resultado, o fator de carga para o período janeiro-junho 2014 situou-se em 78,3%.
Os mercados domésticos da Colômbia, Peru e Equador
Em junho, ligado a Avianca Airlines Holdings transportados para esses mercados 1'246 .323 viajantes, 5,4% superior ao registrado em junho de 2013. Capacidade (ASK) aumentou 3% este mês, enquanto o tráfego tráfego de passageiros (RPK) aumentou 3,6%. Como resultado, o fator de carga no mês foi de 77,9%.

No primeiro semestre de 2014, o número total de passageiros que utilizam as empresas Avianca Holdings na Colômbia, Peru e Equador totalizaram 0,845 7'374, 6,3% maior que o registrado no mesmo período de 2013. Capacidade ( ASK) nestes mercados aumentaram 6,1%, enquanto que o tráfego de passageiros (RPK) aumentou 6,6%. Como resultado, o fator de ocupação ficou em 77%.
Enquanto isso, durante o segundo trimestre de 2014, a capacidade (ASK) registrado no mercado interno da Colômbia, Peru e Equador foi de 5,7%. Embora o tráfego de passageiros (RPK) representa um aumento de 7,8% em relação ao mesmo período de 2013. Consequentemente, o fator de carga aumentou de 75,3% para 76,7%.

Mercados internacionais  
Em junho, as companhias aéreas integradas Holdings Avianca realizou 874.366 passageiros em rotas internacionais, 4,3% acima do mesmo mês transportou 2.013 passageiros. Capacidade (ASK) aumentou 4,5%, enquanto o tráfego de passageiros (RPK ) cresceu 3%. Como resultado, o emprego nas rotas internacionais totalizaram 80,4%.
No período de Janeiro a Junho de 2014, o número de passageiros que utilizam as companhias aéreas do grupo em rotas internacionais somaram 5'093 .192, 2,1% superior ao registrado no mesmo período de 2013, a capacidade figura (ASK) cresceu. 4,6% e tráfego de passageiros (RPK) aumentou 2,4%. Os factores de utilização foi de 78,7%.
* Pergunta: Assento-quilômetro disponíveis (cadeiras disponíveis por quilômetro voado)
* RPK: Assento-Quilômetro Receita (cadeiras pagas por quilômetro voado)

Aviação Mundial

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Bordeaux é o novo destino da Turkish Airlines

A Turkish Airlines acaba de incluir em suas rotas a cidade francesa de Bordeaux. Esta é o 6º destino a ser operado na França. Os voos Istambul-Bordeaux-Istambul estão disponíveis quatro vezes por semana, às segundas, quartas, quintas e sábados, em ambas as direções. Durante os seis primeiros meses de operações para o novo destino a Turkish Airlines disponibiliza uma oferta especial para os membros do Miles & Smiles, ao oferecer uma redução de 25% das milhas necessárias para resgate de prêmio ou para upgrades. 

Avianca fará Fortaleza-Bogotá ainda esse ano

A Avianca confirmou ainda para este ano o início da rota Fortaleza-Bogotá. No entanto, a companhia ainda não anunciou a partir de quando fará esse trajeto ou quantas frequências ligarão as duas cidades. Em março, o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, elogiou o governo cearense por promover a redução das alíquotas de ICMS sobre o QAV em voos domésticos para as companhias que rotas internacionais a partir dos aeroportos locais, e citou o futuro voo da Avianca como exemplo.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

O A350 XWB em fase final de certificação




mais novo avião do mundo, o Airbus A350-900, decolou nesta manhã para a fase final para a certificação. Estes 


Mais novo avião do mundo, o Airbus A350-900, decolou nesta manhã para a fase final para a certificação. Estes testes Route Proving são projetados para demonstrar prontidão para operações aéreas e contará com campo de pouso de alta performance, os ensaios auto-pouso, e turnaround aeroporto e serviços de movimentação. Alguns vôos terão os passageiros a bordo. O A350 mundo itinerário inclui 14 aeroportos em todo o mundo e uma rota através do Pólo Norte.
A turnê mundial usando A350 aeronave de teste MSN5 faz parte da rota de provas para campanha de certificação. A aeronave (MSN5) é um dos frota de cinco aviões de teste e um dos dois com uma cabine totalmente funcional (42 em classe executiva e 223 assentos na classe econômica). Os vôos A350 será operado pela Airbus tripulações de voo, com a participação de pilotos de Aeronavegabilidade Autoridade da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA).
Os testes fazem parte dos últimos ensaios requeridos para o tipo de aeronave Certificação agendada para Q3 deste ano. A primeira entrega de avião, a Qatar Airways, seguirá para o final do ano.
O julgamento três semanas (quatro viagens) começa em Toulouse, França. Trip um, inclui destinos como o Canadá, através do Pólo Norte e Frankfurt. Trip duas para a Ásia, mais rápido crescimento mercado de aviação do mundo, inclui visitas a Hong Kong e Cingapura. A terceira viagem traz o avião para Joanesburgo e Sydney. De Sydney que vai voar para Auckland, seguido por Santiago do Chile e São Paulo antes de retornar a Toulouse. Na quarta e última viagem, o A350 partirá de Toulouse para Doha, em seguida, para Perth e de volta a Doha. De Doha ele vai voar para Moscou, em seguida, para Helsínquia a partir de onde ele vai voar de volta para Toulouse.
Hoje cinco A350 desenvolvimento estão voando e estão ativamente envolvidos no programa de ensaios em vôo intensivo, que já atingiu mais de 540 voos e 2.250 horas de vôo. 
O A350 XWB é o mais recente adição à linha de produtos da Airbus Widebody líder de mercado. Oferecendo aos seus clientes uma redução de 25% no combustível de queima, o novo mid-size de longo alcance A350 XWB família é composta por três versões 276-369 assentos. O A350 tem fuselagem de fibra de carbono e asas e estabelece novos padrões em termos de experiência de passageiros, eficiência operacional e rentabilidade. No final de Junho de 2014, o A350 XWB tinha ganho 742 encomendas de 38 clientes em todo o mundo.
Trip um : Toulouse-Iqaluit-Frankfurt-Toulouse 
Trip dois : Toulouse-Hong Kong-Cingapura-Hong Kong-Toulouse (Hong Kong a Singapura várias vezes)
Viagem de três : Toulouse-Joanesburgo-Sydney-Auckland-Santiago de Chile-São Paulo-Toulouse
Trip quatro : Toulouse-Doha-Perth-Doha-Moscow-Helsinki-Toulouse