segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Compra da Alitalia pela Etihad marcada para 8 de Agosto

“Uma data já foi fixada para a assinatura do acordo: 8 de Agosto”, anunciou ontem o ministro italiano dos Transportes, referindo-se aos termos em que a Etihad passará a ser o maior accionista da Alitalia, com 49%, o limite actualmente em vigor para a participação de ‘estrangeiros’ em companhias aéreas da União Europeia.
O ministro Maurizio Lupi, porém, segundo a imprensa internacional, não deu por completamente resolvidas as questões que arrastam o negócio há pelo menos sete meses, pois indicou que ainda faltam alguns pormenores, mas que podem ser resolvidos durante a próxima semana.
No mesmo sentido se pronunciou o CEO da Alitalia, Gabriele Del Torchio, no final de uma reunião do Conselho de Administração que teve lugar ontem no Aeroporto de Roma Fiumicino.
Gabriele Del Torchio disse à imprensa que a Alitalia recebeu uma resposta “positiva” da Etihad às suas últimas propostas, admitindo, contudo, que “algumas coisas ainda precisam de ser clarificadas”.
Entre essas ‘coisas’, segundo a imprensa internacional, está a concretização de um aumento do capital em 300 milhões de euros para fazer face a perdas que sejam registadas até à efectivação da entrada da Etihad, bem como para cobrir dívidas do passado.
Uma notícia da agência Reuters citada pela imprensa internacional diz que os correios italianos, que passaram a deter 20% da Alitalia mediante um investimento de 75 milhões de euros no âmbito do plano arquitectado pelo Governo para evitar a paragem da companhia no ano passado, já indicaram que vão investir mais 70 milhões, mas através de outra empresa.
A notícia também refere que a Etihad nunca especificou quanto vai investir para adquirir os 49% da Alitalia, mas que o ministro Maurizio Lupi em Junho declarou que a companhia do Abu Dhabi está preparar para avançar com 1,25 mil milhões de euros em quatro anos.
A Etihad e a Alitalia comunicaram publicamente a 2 de Fevereiro estarem em negociações para a aquisição pela companhia do Abu Dhabi de uma participação na italiana, sendo então indicado um prazo de 30 dias, que tem sido sucessivamente prorrogado.
A imprensa internacional tem noticiado que em questão está a questão da dívida da Alitalia e, também, uma alegada exigência pela Etihad de que promova previamente uma redução do pessoal.
A perspectiva da Etihad se tornar dominante no quarto maior mercado aéreo da União Europeia tem ‘agitado as águas’ do sector na Europa, de que o expoente mais mediático foi a carta dirigida à Comissão Europeia pelos sete CEO’s das companhias dos grupos Lufthansa e Air France KLM a reclamarem “apoio urgente para assegurar que todas as partes da aviação europeia aderem às mesmas regras” tendo em conta aquisições de participações em companhias europeias por transportadoras de países que “ignoram os princípios da concorrência leal que são aplicados na União Europeia”

Nenhum comentário:

Postar um comentário