sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Avianca fez hoje o primeiro voo comercial do Boeing B787-8 para Nova York.


O Dreamliners Avianca será atribuído às rotas de médio alcance e longo dirigiam para New York, Santiago, São Paulo, Buenos Aires e México. A partir de Junho, irá voar para Madrid, Barcelona e Londres.
No 15:14 na sexta-feira 16 de janeiro, vai decolar do Aeroporto Internacional El Dorado, o primeiro Boeing B787-8 Avianca, designado para a rota Bogotá-New ​​York. A aeronave vai transportar 236 passageiros e 10 tripulantes.
A bordo deste avião sofisticado, Travelers AV244 desfrutar de um vôo mais confortável, graças a uma maior extensão na fuselagem do avião, assentos maiores, corredores mais largos e maiores casas de banho. E melhorqualidade do ar, umidade mais elevada a bordo e iluminação ajustável em diferentes fases de níveis de vôo, o que fará esta viagem uma experiência superior.
Fabio Villegas Ramirez, presidente da Avianca, declarou: "Estamos muito orgulhosos de oferecer aos nossos viajantes de um avião como o Boeing B787-8, com tecnologia avançada, o que, sem dúvida, faz muito mais confortáveis ​​e agradáveis ​​passeios, com o máximo de desempenho Operacional ".
Os quatro novos Boeing B787-8 será atribuído às rotas de médio e longo alcance, incluindo destinos como Nova York, Buenos Aires, São Paulo, Santiago de Chile, México, e de junho a Madrid, Barcelona e Londres.
Uma aeronave eco-eficiente
O Boeing Dreamliner B787-8 também é conhecida por sua alta eficiência operacional, produto compósitos fuselagem e os avanços na tecnologia de motores, que permitem uma gama de mais de 14.500 km de vôo.
Os materiais de construção da Boeing B787-8 são mais leves e resistentes à corrosão e à fadiga. Também tem uma operação avançada de diagnóstico programa de sistemas de navegação e motores on-line, o que facilita a engenharia e manutenção.

A ala de B787 foi desenhado com aerodinâmica avançada, 9% a mais eficiente em comparação com aeronaves existentes. Seu design permite maior desempenho, resultando em maior velocidade e menor consumo de combustível. Do mesmo modo, as condições aerodinâmicas permitem o aumento de força e flexibilidade, criando experiência de voo mais agradável, mesmo sob turbulência moderada.
A Avianca Boeing B787-8 são alimentados por eco-eficiente Rolls Royce Trent 1000 motores de série, cujos avanços tecnológicos representam um salto de duas gerações, com benefícios: 20% menos consumo de combustível; Redução de 20% nas emissões de carbono e 40% menos impacto do ruído, tornando-os mais avançados motores na área de proteção ambiental.

fonte- Aviaçao mundial

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Tap transporta número recorde de passageiros em 2014



A Tap teve um aumento de passageiros de 6,6% em 2014 e pela primeira vez superou a marca de 11 milhões de clientes transportados. A companhia portuguesa, apesar do impacto das greves concretizadas ou só anunciadas a que esteve sujeita em 2014, ficou acima do ano de 2013 em mais de 700 mil passageiros, o que decorre do aumento de capacidade, pelo reforço da frota, mas, sobretudo, pelo crescimento da procura.

Em RPK, que pondera o número de passageiros pelos quilômetros voados, a empresa registrou crescimento de 7%, enquanto a sua capacidade em ASK (lugares x quilômetros voados) aumentou 6,6%, o que lhe permitiu subir a taxa média de ocupação (em RPK/ASK e não em lugares vendidos/lugares disponíveis, como fazem as low cost) em 1,1 ponto, para 80,6%.

Ryanair ultrapassa 86 milhões de passageiros com aumento de 4,9 milhões em 2014

A low cost Ryanair, que opera em Portugal para Lisboa, Porto e Faro e já anunciou a intenção de voar para Ponta Delgada, atingiu em 2014 cerca de 86,3 milhões de passageiros transportados, mais aproximadamente 4,9 milhões (+6%) que em 2013, de acordo com os cálculos do PressTUR a partir dos dados que divulga mensalmente.



A companhia liderada por Michael O’Leary anunciou hoje que em Dezembro passado teve mais um mês de crescimento na ordem de 20% (cerca de 19,9%), com mais quase um milhão de passageiros que um ano antes, atingindo um total de 6,02 milhões.
O crescimento do número de passageiros em Dezembro, de acordo com os seus dados, mais uma vez superou largamento o aumento de capacidade, pelo que a percentagem de lugares vendidos em relação aos disponíveis subiu sete pontos, atingindo 88%.
Essa evolução, de acordo com os cálculos do PressTUR, traduziu-se numa redução do número de lugares vazios em voos na ordem de 30% ou 360 mil, ainda assim para aproximadamente 820 mil.
Nos 12 meses do 2014, os cálculos do PressTUR indicam que a Ryanair ficou com aproximadamente 13,7 milhões de lugares vazios, cerca de menos um quinto ou 3,5 milhões que em 2013.
Assim, a sua percentagem média de venda de lugares foi de aproximadamente 85,2%, em alta de cerca de 3,7 pontos.
A subida da percentagem de lugares vendidos em Dezembro é precisamente o aspecto destacado pelo CEO da Ryanair, Michael O’Leary, que inclusivamente diz que está a ser “melhor do que esperado” face ao aumento de capacidade que a companhia está a fazer desde que em finais de Outubro começou a época baixa da aviação, em cerca de 12,3% em Novembro e em cerca de 10,4% em Dezembro.
O’Leary atribui a subida da percentagem de lugares vendidos às “baixas tarifas”, à estratégia de vender mais cedo e “ao continuado êxito do programa para passageiros “Always Getting Better”.
“Com as nossas novas rotas, aumento de frequências, melhoria da experiência dos clientes e serviço Business Plus a Ryanair continua a entregar muito mais do que apenas baixas tarifas em todos os mercados em que operamos”, salienta O’Leary.
No início de Dezembro, a Ryanair reviu em alta a sua previsão de lucros no exercício 2014/2015 por estar a registar crescimento do tráfego acima do que antecipava no período de baixa (para ver mais clique aqui).
A companhia apontou então para ultrapassar no exercício, que termina a 31 de Março, os 90 milhões de passageiros.
Nos primeiros nove meses do exercício 2014/2015, desde o início de Abril até ao final de Dezembro de 2014, a Ryanair está com cerca de 72,1 milhões de passageiros, em alta de 6,9% ou cerca de 4,6 milhões.
No exercício 2013/2014, terminado a 31 de Março do ano passado, a Ryanair somou 81,7 milhões de passageiros, em alta de 3% ou 2,4 milhões.
A meta de 90 milhões anunciada no início de Dezembro passado para o exercício 2014/2015 significava um aumento médio na ordem de 20% ou aproximadamente 8,3 milhões.