terça-feira, 15 de dezembro de 2015

AVIAÇÃO DOMÉSTICA RECUA PELO QUARTO MÊS SEGUIDO: DEMANDA CAI 7,9% EM NOVEMBRO E REGRIDE A NÍVEIS DE 2013


Depois de apurar quedas de 0,6%, 0,8% e 5,7% em agosto, setembro e outubro, respectivamente, a retração da demanda1 da aviação doméstica acentuou-se em novembro e atingiu 7,9% em relação ao mesmo mês de 2014. A indústria segue tentando ajustar a oferta2ao volume atual de procura por transporte aéreo, tendo sido reduzida, em igual base de comparação, em 3,9% em novembro. Uma vez que a demanda caiu mais do que a oferta, o fator de aproveitamento3 das operações perdeu 3,4 pontos percentuais, ficando em 77,91% no mês. Foram registradas 7,7 milhões de viagens domésticas em novembro, total 5% inferior ao do mesmo mês de 2014. Mais grave do que as variações negativas no mês na comparação com um ano atrás, as estatísticas já recuam a níveis iguais ou inferiores a 2013. Os números são a compilação das estatísticas fornecidas pelas companhias aéreas integrantes da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

Participação de mercado4 – Em parcelas da demanda, o mercado doméstico se dividiu assim no mês: 
•         TAM – 37,12%
•         GOL – 35,27%
•         AZUL – 17,11%
•         AVIANCA – 10,51%

Acumulado – Os desempenhos reiteradamente negativos da segunda metade do ano estão eliminando os avanços registrados no primeiro trimestre, ainda resultantes de vendas feitas em 2014 e de um cenário econômico menos desfavorável. De janeiro a novembro a oferta acumula leve alta de 1,2% e, a demanda, de 1,4%. O fator de aproveitamento evolui apenas 0,2 ponto percentual, para 79,96%. A soma de passageiros transportados chega a 86,5 milhões, alta de 0,6% em relação ao mesmo período de 2014.

Internacional – No mercado internacional, as taxas de crescimento registradas mês a mês têm se mostrado gradualmente menores. Nesse segmento as companhias brasileiras respondem por cerca de 30% do mercado, ficando o restante com as transportadoras estrangeiras.

“No próximo mês, quando tivermos uma base que já incorpora as operações internacionais da AZUL, que iniciou os voos ao exterior em dezembro de 2014, conseguiremos ter um retrato mais claro do que está acontecendo com essa parcela do mercado detida pelas companhias brasileiras”, ressalva Maurício Emboaba, o consultor técnico da ABEAR. 

A oferta de transporte aéreo internacional nas empresas nacionais foi expandida em 11,3% em outubro quando comparada com a de um ano atrás. A demanda avançou menos, 9,8%. Como nem toda oferta adicional foi absorvida pela demanda, o fator de aproveitamento das operações recuou 1,1 ponto percentual, ficando em 79,56% no mês. Foram 584,5 mil passageiros internacionais transportados no mês, 11,7% a mais do que em novembro de 2014.

Em relação à demanda total, em novembro a participação das associadas ABEAR no mercado internacional ficou dividida da seguinte forma (AVIANCA teve participação inferior a 1%):
•         TAM – 79,99%
•         GOL – 12,67%
•         AZUL – 7,27%

De janeiro a novembro a oferta internacional registra expansão de 14,9%, para uma demanda que evolui 13,9%. O fator de aproveitamento acumulado, de 83,46% no período, fica 0,75 ponto percentual abaixo de igual intervalo do ano anterior. O total de passageiros transportados fica pouco acima de 6,6 milhões, alta de 14,9% sobre o acumulado de 2014.

Cargas5 – Em novembro, as associadas ABEAR transportaram 30,6 mil toneladas de cargas em deslocamentos domésticos (queda de 13,1% na comparação com novembro de 2014) e 19,1 mil, toneladas de cargas nas rotas internacionais (alta de 17,3% na mesma base de comparação). Nos 11 meses de 2015 o total de carga doméstica movimentada soma 303,2 mil toneladas (retração de 11% ante igual período do anterior), enquanto a carga internacional atinge 161,9 mil toneladas (alta de 4,1%). Os números abrangem as operações de AVIANCA, AZUL, GOL, TAM e TAM CARGO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário