terça-feira, 4 de outubro de 2016

FERNANDO PINTO ANUNCIA PROGRAMA RISE PARA GERAR “150 MILHÕES DE EUROS DE POUPANÇAS” NA TAP








“Nós temos que entrar num ciclo virtuoso”, afirmou

O CEO da TAP apresentou hoje aos trabalhadores os contornos de um programa baptizado RISE, que em inglês indica subida, mas cujo objectivo mais destacado é baixar os custos em 150 milhões de euros, identificados como “poupanças”.
Fernando Pinto disse aos trabalhadores que o programa tem três pilares, denominados “Benchmark”, cujo foco é competitividade, “Eficiência”, com foco em “menos custos”, e “Agilidade”, no sentido de “maior capacidade de reacção”.
A apresentação do Rise foi enquadrada por Fernando Pinto na necessidade de a TAP superar limitações na capacidade de captação de capitais para investir.
“Temos que mostrar resultados muito fortes, mostrando ser uma empresa muito eficiente e competitiva para ter a nossa obtenção de financiamentos e tudo o mais”, observou, para salientar que a TAP tem que ter “em andamento programas credíveis que mostrem o futuro da empresa, o futuro sólido da empresa”.
“Nós temos que entrar num ciclo virtuoso”, prosseguiu Fernando Pinto, dizendo ser “característica dos que vencem nesse mercado”, sublinhando que a companhia tem que ter “menores custos médios do que a concorrência, [para] com isso ter melhores resultados, ter maior capacidade de investimento, seja na frota seja no produto que se oferece directamente ao passageiro, uma maior actividade ou seja ter mais passageiros, maior volume de vendas” e assim sucessivamente.

O CEO da TAP frisou que o Rise, porém, “não está sozinho”, pois “anda em paralelo com um programa que vocês já têm tido conhecimento, que é o programa de crescimento da empresa, que vai nos permitir aumentar proveitos e vai permitir também uma diluição de custos”.
A base é que “estamos aumentando a capacidade de transportar passageiros nos nossos aviões de médio curso diluindo por conseguinte o custo por assento quilómetro, que é fundamental, e mais do que isso melhorando o conforto a bordo”, avançou Fernando Pinto, comentando que isso é possível porque “a engenharia faz milagres”.
“E a nossa engenharia mais ainda, não é. Vamos ter aviões mais confortáveis e com maior capacidade de transporte de passageiros. Isso aumenta já a nossa eficiência somando-se a vários outros trabalhos de melhoria de eficiência nós vamos ter uma empresa melhor”, acrescentou.
O desenho do Rise, em que participou o Bostin Consulting Group, envolveu uma fase comparação da TAP com as suas concorrentes (benchmark) cujas ilações tiradas por Fernando Pinto é que em termos de custos por lugar voado, a TAP “está muito bem” no longo curso e no médio curso também está “muito bem” na comparação com outras companhias tradicionais, mas quando se trata das low cost...
“Então nós temos que nos aproximar.... Nós temos que ser competitivos. Vamos buscar as diferenças. Vamos ver até onde podemos nos aproximar”, afirmou Fernando Pinto, que também não deixou de enfatizar, ‘martelando’ palavra a palavra “Nós não queremos ser uma empresa low cost. Tem que ficar claro isso.”
“O nosso tipo de serviço, o nosso nicho é diferente, mas nós temos que ter condições de competir”, enfatizou então Fernando Pinto, que antes já tinha alertado que mesmo na comparação com as tradicionais a TAP tem sempre que levar em conta que tem uma receita média por passageiro menor que a concorrência.
“Nós sempre alertamos aqui que o nosso custo por assento quilómetro tem que obrigatoriamente ser menor do que o das empresas tradicionais europeias, por uma questão muito simples: o nosso mercado tem uma média de [passsageiros de] negócios/business menor e um valor médio de tarifas menor pela forma, pelo tipo e pela pujança económica do país. É assim. Então para competir nós temos que ter custos menores porque as nossas receitas médias, proveitos médios, são menores”, afirmou.
Pode ver as grandes linhas do Rise divulgadas por Fernando Pinto na galeria de imagens no topo
Para ler mais sobre a reunião hoje de Fernando Pinto com trabalhadores da companhia clique:
TAP aposta na personalização do contacto com os clientes com novo website e app a partir de 1 de Novembro.
Fonte: Pressutur

Nenhum comentário:

Postar um comentário