quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Gol é acusada de pagar propina de R$ 3 milhões a Eduardo Cunha


A Operação Lava Jato conseguiu desvendar mais um escândalo de corrupção envolvendo o nome de Eduardo Cunha. Dessa vez, além do ex-deputado, as empresas ligadas a GOLLinhas Aéreas estão envolvidas no suborno pago ao ex-presidente da Câmara dos Deputados. 
De acordo com o pedido de prisão de Eduardo Cunha, a Gol Linhas Aéreas e empresas de publicidade pagaram cerca de 3 milhões de reais ao ex-deputado. O suborno foi realizado como forma de reduzir o preço dos combustíveis. Os procuradores consideram o pagamento efetuado como propina.

Eduardo Cunha é preso

O Ministério Público colocou o suborno da companhia aérea como um dos vários motivos para que Eduardo Cunha fosse preso. Contudo, na solicitação de prisão do ex-deputado, o juiz Sérgio Moro utilizou de outros argumentos para emitir o mandado de prisão.
Eduardo cunha pode ser visto como uma ameaça para muitas empresas, que podem o ter subornado em prol de algum benefício. Afinal, o ex-deputado pode utilizar da delação premiada para diminuir a pena pelos crimes cometidos. As investigações descobriram que a Gol pagou R$ 3 milhões de reais. Contudo, o valor pode ser maior e outras empresas podem estar ligadas ao esquema de corrupção.
Gol subornou Eduardo Cunha
A credibilidade e a reputação são partes valiosas de todas as empresas. O fato do nome da companhia aérea estar ligada a escândalos de corrupção, envolvendo pagamento de suborno, é extremamente prejudicial. Nenhuma empresa quer ser vista como uma instituição que descumpre as leis. A Lava Jato acusa a Gol Linhas Aéreas com provas. O velho ditado diz: "contra provas, não há argumentos". A empresa responderá pelos seus atos.
O site da Folha de São Paulo informou que a companhia aérea respondeu "que recebeu o pedido da Receita Federal para dar esclarecimentos sobre alguns investimentos publicitários realizados pela empresa". A Gol afirma que já começou a verificar, por meio de auditoria independente externa, para apurar o fatos.
Fonte:blasting

Nenhum comentário:

Postar um comentário