domingo, 4 de dezembro de 2016

Menino de seis anos é ‘extraviado’ em voo da gol e viaja sozinho a Curitiba

Um menino de apenas seis anos foi levado sozinho para Curitiba após um erro da companhia aérea Gol. Na sexta-feira (2), o pai da criança, Wanderson Romão, publicou o relato no Facebook.
Romão, que mora em Vitória, no Espírito Santo, comprou uma passagem para o filho para que pudessem passar o seu aniversário de 32 anos juntos. O menino mora na capital Rio de Janeiro com a mãe e havia voltado em outubro de uma viagem internacional. Pai e filho não se viam há cerca de um ano.
A passagem do Rio à Vitória custou R$ 750, com taxa de R$ 100 pelo serviço de acompanhamento para a criança. O menino embarcou com todos os documentos necessários, inclusive informações de contato e uma autorização judicial para viajar sozinho apenas para os estados do Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro, onde a criança tem parentes. O voo saiu às 17h e chegou às 18h20. Porém, no desembarque em Vitória, o pequeno não apareceu.
“Foram as piores horas da minha vida, pois percebi que meu filho havia desaparecido”, relatou o pai. Romão procurou os funcionários da empresa, mas não teve informações sobre o paradeiro do menino. Romão entrou em contato com a mãe, que foi procurar a criança no Aeroporto do Galeão, onde tinha embarcado, na esperança de que ele não tivesse ido. Ela também não o encontrou.
O pai ainda relata que, ao informar a companhia que seu filho estava desaparecido, foi questionado se havia comprado a passagem por Smiles, para que fosse direcionado ao atendimento 0800, neste caso.
Sem informações, Romão procurou pela Polícia Federal (PF). Foi só então que a criança foi localizada. “A supervisora da Gol foi acionada. Depois de uma hora, tive a informação de que meu filho havia chegado, mas em Curitiba, capital do Paraná! Ele fez o voo sem nenhuma pessoa ao lado da cadeira. Não havia autorização judicial para ele ir ao Paraná, apenas Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo. O que era para ser um voo de 45 minutos se transformou em um voo de uma hora e meia e em um filme de terror! A criança estava com medo, havia chorado durante o voo de ida”, conta o pai.
A companhia deu a opção de levar o menino a Vitória, com escala no Rio de Janeiro. Porém, Romão pediu que deixassem o menino no Rio, com medo do que pudesse acontecer. “Decidi pela vida do meu filho, que ele ficasse no Rio de Janeiro, sem conexão. Aliás, se em um voo direto haviam perdido ele, imagina em uma conexão. Ele deveria estar com medo, assustado”, conta.
A criança chegou ao Rio às 21h, após uma viagem de quatro horas ao todo e relatou a confusão:  “pai, eles falaram coisas feias, palavrões, na minha frente”, conta Romão.
O pai abriu mão de passar seu aniversário com o filho e garante que entrará na Justiça contra a Gol. “Nunca vi um ser humano, tão inocente, puro, ser tratado com tanto desprezo, despreparo, irracionalidade, como uma espécie de uma mala, que simplesmente foi extraviada”, escreveu Romão.

Resposta

A Gol, por meio de nota, pediu desculpas aos familiares e ao menino e esclareceu que houve “falha no procedimento de embarque da criança, ocasionando a troca do voo”.
Segundo a empresa, a criança esteve assistida “a todo momento” por um colaborador e que a empresa manteve contato com a família para prestar assistência à família. A Gol também afirma que vai adotar medidas para que casos semelhantes não voltem a acontecer.
paranaportal
Link do Facebook do pai do menino:
https://www.facebook.com/wanderson.romao/posts/1338426472907138



Nenhum comentário:

Postar um comentário