quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017



Este pedido é o terceiro lote de produção inicial de baixa taxa da Boeing. Os dois primeiros vieram em agosto de 2016 e incluíam sete e 12 aviões, respectivamente, bem como peças sobressalentes.
A Boeing planeja construir 179 unidades de reabastecimento baseadas em 767 para a Força Aérea substituir sua frota de petroleiros legados. As entregas dos petroleiros começarão ainda este ano.
"Este prêmio é uma ótima notícia para a equipe conjunta Boeing-Air Force e reforça a necessidade deste altamente eficiente e capaz navio-tanque", disse Mike Gibbons, Boeing KC-46A petroleiro vice-presidente e gerente de programa. "Nossa equipe da indústria Boeing está trabalhando duro construindo e testando aeronaves KC-46, e estamos ansiosos para a primeira entrega."
"Colocar uma ordem para outros 15 aviões é outro marco importante para o programa KC-46", disse o Coronel John Newberry, gerente de programa do Sistema KC-46 da Força Aérea. "Eu sei que o warfighter está animado sobre trazer esta capacidade de próxima geração para o inventário."
Boeing recebeu um contrato inicial em 2011 para projetar e desenvolver a aeronave da próxima geração da Força Aérea. Como parte desse contrato, a Boeing construiu quatro aviões de teste - dois configurados como 767-2C e dois como petroleiros KC-46A. Essas aeronaves de teste, juntamente com o primeiro avião de produção, completaram quase 1.500 horas de vôo até o momento.
O KC-46A é um petroleiro multi-rolha que pode reabastecer todos os aviões militares aliados e de coalizão compatíveis com os procedimentos de reabastecimento aéreo internacional e pode transportar passageiros, carga e pacientes.
A Boeing está montando aeronaves KC-46 em sua instalação em Everett, Wash.

Nenhum comentário:

Postar um comentário