segunda-feira, 14 de agosto de 2017

TAP BATE DELTA NA ROTA DE NOVA IORQUE - JFK E FAZ DISPARAR TRÁFEGO DE/PARA TORONTO


Canadá sobe a 3ª origem/destino intercontinental em Julho, ultrapassando Angola

A norte-americana Delta Airlines, que retomou a rota Lisboa - Nova Iorque JFK em finais de Maio, transportou em Julho 9.744 passageiros nessas ligações, o que lhe dá uma taxa média de ocupação acima de 95%, mas ainda assim ficou aquém da TAP, que de acordo com cálculos do PressTUR teve quase 60% dos passageiros que voaram nessa linha.
Dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso indicam que em Julho 24.793 passageiros voaram entre Lisboa e Nova Iorque JFK nos dois sentidos, com um aumento em 79,9% ou 11 mil relativamente ao mês homólogo de 2016.
Tendo em conta que a Delta, que só tem essa rota no Aeroporto de Lisboa, somou 9.744 passageiros, e que a TAP é a sua única concorrente nessas ligações, a companhia portuguesa, que utiliza aviões de maior capacidade, terá somado nos seus voos de/para Nova Iorque JFK um total de aproximadamente 15 mil passageiros, com um aumento em 9,2% ou aproximadamente 1,2 mil face ao ano passado, apesar de ter passado a ter concorrência.
Os cálculos do PressTUR indicam ainda que a TAP, assim, transportou quase 60% dos passageiros que voaram entre Lisboa e Nova Iorque JFK, com os restantes cerca de 40% a viajarem com a Delta que retomou os voos de/para Lisboa em Boeing B757 de 164 lugares em 26 de Maio (para ler mais clique: Delta transporta 1,8 mil passageiros nos primeiros seis dias de voos de/para Lisboa).
Os dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso indicam ainda que desde esse dia 26, a Delta já transportou de/para Lisboa 21.049 passageiros em 134 voos, o que lhe dá uma média de 157 passageiros por voo, que significa uma taxa média de ocupação próxima de 96%.
Esta entrada da Delta nessa rota e o facto de a TAP ainda assim continuar a aumentar passageiros nessas ligações é um dos factores que leva a que em Julho os Estados Unidos se consolidem como a segunda principal origem/destino intercontinental, com 106,5 mil passageiros e um aumento em 15,4% ou 14,2 mil.
Igualmente contribuíram, embora com aumentos mais modestos, os voos de/para Newark, para onde voam TAP e United, com +6,6% ou mais 1,7 mil, para 28,7 mil, e Boston, para onde voam TAP e SATA, com +3,5% ou mais cerca de 700, para 20,3 mil.
Os dados do Aeroporto não permitem ver no entanto os dados de tráfego nas rotas de Miami, Filadélfia, Washington e Providence, bem como, por companhia, não especifica os tráfegos de/para os EUA transportados por TAP e Azores Airlines (antiga SATA Internacional).
A informação permite ver apenas que além da Delta, com 9,7 mil passageiros, a United, que voa para Newark em concorrência com a TAP e para Washington, somou 22,2 mil passageiros em Julho, +3,2% ou mais cerca de 700 que há um ano, e a American, que voa para Fildafélfia, somou 8,7 mil, -2,9% ou menos cerca de 260 que há um ano.

Toronto ‘dispara’ para 34 mil passageiros no mês de Julho
No primeiro mês completo de operação da TAP entre Toronto e Lisboa, lançada a 10 de Junho com cinco voos por semana, esta rota, que também tem voos da Air Azores (antiga SATA Internacional), da Air Transat e Air Canadá, alcançou em Julho o máximo de 34.048, +47,1% ou mais 10,9 mil que há um ano.
Os dados a que o PressTUR teve acesso apenas permitem identificar que a Air Canadá, que só tem essa rota para Lisboa, transportou cerca de 35% desses passageiros, num total de 11.786, -3,5% ou menos cerca de 430 que há um ano.
Os mesmos dados mostram que em Julho a Air Transat transportou de/para Lisboa 19.883 passageiros, com um aumento em 17,1% ou 2,9 mil relativamente a Julho de 2016, mas não é possível destrinçar quantos passageiros voaram nos seus voos de/para Toronto e de/para Montreal.
Igualmente, não é possível aferir quantos dos 1,337 milhões de passageiros que a TAP transportou de/para Lisboa em Julho voaram na linha de Toronto e o mesmo se passa com os 64,3 mil transportados pela Azores Airlines.
Independentemente dessa contabilidade por companhias, os dados obtidos pelo PressTUR mostram que com 44.232 passageiros, o Canadá subiu a 3ª principal origem/destino intercontinental, atrás apenas do Brasil e Estados Unidos, ultrapassando Angola, cujas ligações somaram 41.372 passageiros.
A subida do Canadá decorre de um aumento de passageiros em 42,7% ou 13,2 mil, enquanto o crescimento nas ligações com Angola foi em 9,6% ou 3,6 mil.
No conjunto dos primeiros sete meses do ano, no entanto, Angola mantém a 3ª posição, com 263,6 mil passageiros (+25,8% ou mais 54 mil que há um ano), enquanto o Canadá, com 113,4 mil passageiros (+47,2% ou mais 36,4 mil) é apenas 7ª, depois também de Cabo Verde, com 208 mil (+17,9% ou mais 31,6 mil que há um ano), Marrocos, com 170,7 mil (+91,7% ou mais 81,6 mil), e Emirados Árabes Unidos, Dubai, com 149,4 mil (-23% ou menos 44,5 mil que há um ano).
 Pressetur

Nenhum comentário:

Postar um comentário