sexta-feira, 17 de julho de 2020

Azul amplia serviços realizados no hangar de Campinas



Inaugurado no primeiro trimestre deste ano, o hangar da Azul em Campinas, estava sendo utilizado para a preservação da frota em função da crise causada pela pandemia da Covid-19. Com o início da retomada dos voos, o complexo já está realizando diversas tarefas de manutenção. Até o fim do ano, a companhia irá agregar ao local novas oficinas, que darão suporte aos serviços de reparos feitos nas aeronaves e também iniciará processo de transformação digital para garantir mais eficiência nos processos e controles.

Há alguns meses, os profissionais que trabalham no hangar estão auxiliando a operação diária da Azul recebendo aviões que necessitam fazer paradas especiais e também reparos nas estruturas. Agora em julho, o prédio recebeu a primeira aeronave para manutenção de grande complexidade, o heavy check.

A aeronave Airbus A320neo, de matrícula PR-YRA, ficou estacionada para a manutenção no prédio da Azul, em VCP, entre 7 e 15 de julho. Cerca de 70 profissionais ficaram dedicados para a realização do serviço nesses dez dias, em um total de 4.500 horas de trabalho.

Realizar esse trabalho é um marco relevante para a empresa. Segundo Flavio Costa, vice-presidente Técnico-Operacional da companhia, conduzir esse tipo de tarefa “dentro de casa” dá a Azul condição de ser mais eficiente e flexível com seus recursos. “A partir do momento que somos nós realizando o serviço, conseguimos melhorar de forma contínua todos os processos que envolvem o heavy check. Garantimos qualidade na execução e também diminuição dos custos. Além, é claro, de aprimorar o conhecimento de nossos técnicos, protegendo postos de trabalho e criando novas oportunidades internamente e também para o mercado”, afirma o executivo.

Outro benefício que o complexo de manutenção da Azul instalado em Viracopos oferece para o processo é a estrutura de oficinas próprias. “Nesses espaços, peças que precisam de reparos podem ser consertadas e instaladas novamente pelo nosso time de especialistas ali mesmo no hangar. Isso proporciona uma eficiência enorme para o trabalho de heavy check”, explica Carlos Naufel, diretor Técnico da Azul.

Agora que o hangar de Viracopos está realizando o seu primeiro trabalho de manutenção de longa duração em uma única aeronave, a expectativa da empresa é de conseguir alcançar o mesmo nível de excelência que já possui com a manutenção de outros modelos de sua frota, como o E-Jet e o ATR. “A curva de aprendizado será enorme e o mais importante é que todos os Tripulantes envolvidos nesse primeiro processo conseguirão alcançar um novo patamar de conhecimento técnico, o que nos oferecerá uma condição superior na hora de iniciarmos o segundo heavy check em Campinas”, diz Naufel.


fonte: mercadoseeventos

quinta-feira, 16 de julho de 2020

LATAM lança promoção com destinos de praias, acompanhada de ação inédita para compra de pontos LATAM Pass com 70% de desconto





 

 

 

 


 

Ofertas incluem voos para o Rio de Janeiro a partir de R$ 92,52* (o trecho, incluindo taxas), além de destinos como Recife, Aracaju e Salvador a partir de R$ 144,67 (o trecho com taxas); e voos para Cancún a partir de R$2.042,72* (ida e volta incluindo taxas)

Clientes também podem aproveitar as ações promocionais para compra de pontos LATAM Pass com descontos de 70% exclusivamente nesta sexta (17)

 

 

 

São Paulo, 16 de julho de 2020 - A LATAM Airlines Brasil acaba de lançar uma promoção especial, válida até domingo, 19, às 23h59, com tarifas especiais de voos para quem quer programar uma viagem para praias do Nordeste brasileiro, Rio de Janeiro ou até mesmo destinos internacionais nos próximos meses. As opções são válidas para classe econômica com voos programados entre 1º de agosto e 31 de outubro de 2020, e para os voos internacionais programados entre 1º de novembro e 31 de março de 2021, de acordo com cada destino

Rio de Janeiro

Os preços promocionais incluem tarifas a partir de R$ 92,52 (o trecho, com taxas inclusas) para quem pretende viajar partindo de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro. Para a capital carioca, há ainda ofertas a partir de R$ 94,57 (o trecho, com taxas inclusas) com saídas de Curitiba e a partir de R$ 95,59 (o trecho, com taxas inclusas) com partidas de São Paulo.

Nordeste

Quem pretende programar uma viagem ao Nordeste nos próximos meses também encontra ofertas atrativas. Partindo de Brasília, é possível encontrar voos para Recife a partir de R$ 144,67 (o trecho, com taxas inclusas) ou para Salvador, a partir de R$ 189,67 (o trecho, com taxas inclusas).

Partindo de São Paulo, a promoção contempla voos para Recife a partir de R$ 170,69 (o trecho, com taxas inclusas). Da capital paulista, a partir de R$ 230,69 (o trecho, com taxas inclusas) também é possível encontrar voos para Fortaleza e Aracaju.

Cancún

Para quem está pensando em programar uma viagem para as praias paradisíacas de Cancún, é possível encontrar tarifas a partir de R$ 2042,72 (ida e volta com taxas inclusas). 

Importante destacar que todas as tarifas contemplam flexibilidade para remarcação, permitindo alterar a data do voo uma vez, sem multa ou diferença de tarifa (mantendo mesma origem e destino), sujeito à disponibilidade de cabine e à validade do bilhete. É possível também alterar o destino, mediante diferença de tarifa.

Todos os bilhetes podem ser adquiridos pelo site da LATAM Airlines, lojas LATAM, LATAM Travel e agências de viagem. O valor pode ser parcelado em até 10 vezes* em qualquer cartão de crédito aceito pela companhia.

Confira abaixo as ofertas:

 

Brasil

Origem

Destino

Trecho (R$) com as taxas inclusas, a partir de*:

Belo Horizonte/Confins

Rio de Janeiro/Santos Dumont

R$92,52

Curitiba

Rio de Janeiro/Santos Dumont

R$ 94,57

São Paulo/Guarulhos

Rio de Janeiro/Santos Dumont

R$ 95,59

Brasília

Rio de Janeiro/Santos Dumont

R$ 124,67

Brasília

Recife

R$ 144,67

São Paulo/Guarulhos

Recife

R$ 170,69

Brasília

Salvador

R$ 189,67

São Paulo/Guarulhos

Fortaleza

R$230,69

São Paulo/Guarulhos

Aracaju

R$ 230,69

Internacional

Origem

Destino

Ida e Volta (R$) com as taxas inclusas, a partir de*:

São Paulo/Guarulhos

Cancún

R$ 2042,72

 

Desconto de 70% na compra de pontos LATAM Pass

Outra boa oportunidade para quem deseja viajar futuramente é aproveitar ações especiais do LATAM Pass, programa de fidelidade do Grupo LATAM Airlines. Durante toda a sexta-feira (17), clientes LATAM Pass que comprarem pontos ganham desconto de 70%. Os descontos são válidos durante o período da campanha.

A campanha não é cumulativa com demais promoções e havendo concomitância de ações prevalecerá a mais benéfica para o cliente. Para realizar compra de pontos LATAM Pass

 

 


TAAG - Linhas Aéreas de Angola -DASH-8 400/Kwanza


quinta-feira, 11 de junho de 2020

LATAM e Delta apresentam ao CADE Acordo de Joint Venture entre Américas




São Paulo, 11 de junho de 2020 -  A LATAM Airlines Brasil e a Delta Air Lines deram, ontem (10), o primeiro passo regulatório em direção ao Acordo de Joint Venture transamericano no Brasil com uma apresentação preliminar à autoridade de concorrência, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

 

“Nossa aliança estratégica com a Delta continua sendo uma prioridade. Essa apresentação reafirma nosso compromisso em fornecer aos clientes liderança em conectividade e experiência de viagem nas Américas e a aliança é uma das maneiras pelas quais emergiremos dessa crise global como um grupo de companhias aéreas mais forte, mais ágil e mais competitivo”, afirmou Jerome Cadier, CEO da LATAM Airlines Brasil.

 

O processo de aprovação regulatória com a autoridade de concorrência do Brasil representa o primeiro passo para o acordo, recentemente assinado entre o Grupo LATAM Airlines e suas subsidiárias e a Delta Air Lines, que – uma vez garantidas as aprovações regulatórias requeridas – irá conectar perfeitamente as malhas aéreas altamente complementares das empresas entre as Américas do Norte e do Sul.

 

Para mais informações, acesse:  latam.com/en_us/about-us/latam-delta-alliance/


LATAM Airlines Brasil

Relações com a imprensa


terça-feira, 26 de maio de 2020

Com dívida de US$ 17,9 bilhões, Latam quer devolver aviões




Parcela de financiamento das aeronaves venceu no último dia 15 e não foi honrada pela companhia, que pediu recuperação judicial nos Estados Unidos


A dívida da Latam, que pediu recuperação judicial (Chapter 11) em Nova York nesta terça-feira, 26, chega a US$ 17, 9 bilhões. Entre os maiores credores da companhia aérea estão instituições financeiras como Wilmington Trust Company, com US$ 777 milhões, Citibank, com US$ 603 milhões, Credit Agricole, com US$ 274 milhões, Wells Fargo, com US$ 277 milhões, e Natixis, com US$ 243 milhões.
Parte dessas dívidas, como a com o Wilmington, refere-se a estruturas financeiras criadas para que a empresa pudesse adquirir aeronaves. Na tentativa de não precisar arcar com o débito, a Latam solicitou à Justiça americana, também nesta terça-feira, devolver 20 aeronaves de sua frota. Alguns desses aviões operam no Brasil e parte deles teve parcela do financiamento vencida no último dia 15 que não foi honrada.
Após a parcela vencer, as agências classificadoras de risco de crédito Fitch e S&P rebaixaram a nota da Latam. Na ocasião, os analistas da S&P escreveram que "as preocupações com uma reestruturação da dívida ou um pedido de falência" estavam "aumentando".Na petição apresentada nesta terça-feira, a Latam pede para "rejeitar ou abandonar" o arrendamentos desses aviões, que não são mais necessários para a companhia dado o cenário de retração do mercado decorrente da pandemia da covid-19. "Muitos dos arrendamentos que os devedores (a Latam) desejam cancelar são de aviões e motores com custos significativos, que incluem manutenção, seguro e armazenamento", afirma a companhia no documento.Especialista em direito aeronáutico, o advogado Felipe Bonsenso lembra que o cenário da recuperação da Latam é justamente o oposto do da Avianca Brasil, que, no ano passado, brigava com os arrendadores das aeronaves para poder usá-las. "A disputa agora é para devolver. Há uma justificativa econômica e estratégica para a empresa optar por rescindir esses contratos."

Latam entra com pedido de recuperação judicial nos EUA



A LATAM CONTINUARÁ VOANDO

NÃO HAVERÁ IMPACTO NAS OPERAÇÕES DE CARGAS OU PASSAGEIROS, RESERVAS, VOUCHERS
OU PONTOS DO PROGRAMA LATAM PASS

Em 26 de maio de 2020, o Grupo LATAM Airlines entrou com um pedido de reorganização sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos. Queremos que nossos públicos de interesse saibam que continuaremos operando conforme as restrições de viagem e a demanda permitirem, pagando nossos colaboradores, cumprindo obrigações em relação a benefícios e pagando fornecedores essenciais, além de respeitar os pontos LATAM Pass e as reservas de voos à medida que trabalhamos no processo de reorganização pelo Capítulo 11. Clique aqui para acessar um infográfico que explica como será esse processo.
O processo de reorganização financeira com base no Capítulo 11 oferece à LATAM uma oportunidade clara e estruturada de trabalhar com nossos credores e outras partes interessadas para reduzir nossa dívida e enfrentar os desafios comerciais que nós, como outros de nossa indústria, estamos enfrentando como grupo. Isso é muito diferente do conceito de falência em outros países e não se trata de uma liquidação.
Nosso grupo vem compartilhando sua jornada com os povos da América Latina, prosperando em tempos de crescimento e se unindo para superar os momentos de adversidade. A LATAM sairá desse processo mais bem posicionada para servir a América Latina.
Clique no link abaixo para assistir ao vídeo em que o CEO do Grupo LATAM Airlines, Roberto Alvo explica o que isso significa para o nosso futuro:




segunda-feira, 11 de março de 2019

Azul assina acordo de US$ 105 mi para adquirir ativos da Avianca Brasil



SÃO PAULO, 11 Mar (Reuters) - A companhia aérea Azul informou hoje que assinou uma proposta não vinculante no valor de US$ 105 milhões para a aquisição de certos ativos da Avianca Brasil por meio de uma Unidade Produtiva Isolada (UPI). De acordo com fato relevante divulgado ao mercado, a UPI incluirá ativos selecionados pela Azul como o certificado de operador aéreo da Avianca Brasil, 70 pares de slots e aproximadamente 30 aeronaves Airbus A320.
"Destacamos que o acordo é não vinculante e que o processo de aquisição da UPI está sujeito à uma série de condições como a conclusão de um processo de diligência, a aprovação de órgãos reguladores e credores, assim como a conclusão do processo de Recuperação Judicial. A expectativa é que esse processo dure até três meses", afirmou a Azul. (Edição de Pedro Fonseca)

Boeing se manifesta após acidente aéreo na Etiópia com 157 mortos


Nova York -A Boeing lamentou neste domingo a morte de 157 pessoas no acidente aéreo da Ethiopian Airlines, que operava uma de suas aeronaves, um Boeing 737 MAX 8, e ofereceu assistência técnica.
“a Boeing está profundamente entristecida pela morte dos passageiros e Da tripulação do voo Ethiopian AirliNes 302, um avião 737 Max 8”, disse a companhia em um breve comunicado.
Além de oferecer suas condolências às vítimas, a Boeing ofereceu à companhia aérea etíope “uma equipe técnica” sob a direção das autoridades americanas.
“Uma equipe técnica da Boeing está preparada para dar assistência técnica se for solicitada e sob o direção da Junta Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA”, afirma a nota.
Um avião da Ethiopian Airlines caiu neste domingo pouco depois de decolar do aeroporto internacional de Adis Abeba (a Etiópia) com destino a Nairóbi (Quênia) e não houve sobreviventes entre seus 157 passageiros, de 33 nacionalidades, segundo confirmou a companhia.

157 pessoas morrem após acidente de avião na Etiópia Ethiopian Airlines é a maior companhia aérea da África, e possui uma boa reputação em matéria de segurança aérea


Adís Abeba – As 157 pessoas que estavam a bordo de um avião da companhia Ethiopian Airlines que viajava desde Adis Abeba para Nairóbi morreram neste domingo no acidente aéreo ocorrido poucos minutos após a decolagem, informou um porta-voz da companhia aérea.
Um porta-voz da Ethiopian Airlines confirmou que não há sobreviventes entre as vítimas, de 33 nacionalidades diferentes, segundo declarou à televisão estatal etíope “EBC”.
A aeronave, um Boeing 737 MAX com pouco mais de quatro meses de uso, viajava com 149 passageiros e 8 tripulantes – segundo a companhia aérea – quando caiu na altura da cidade de Bishoftu, ao sudeste de Adis Abeba.
O acidente ocorreu menos de cinco meses depois que, em outubro de 2018, outro Boeing 737 MAX 8 da companhia Lion Air caiu na Indonésia 12 minutos após a decolagem e, de acordo com informações das caixas-pretas, a queda ocorreu devido a um erro no sistema automático, causando a morte de 189 pessoas.
A Ethiopian Airlines é a maior companhia aérea da África, com vários voos não só a destinos internacionais, mas também dentro do próprio continente, e com uma boa reputação em matéria de segurança aérea.
O último acidente registrado desta companhia aconteceu em 25 de janeiro de 2010, quando um Boeing 737-800 caiu no Mar Mediterrâneo pouco depois de ter iniciado uma viagem desde Beirute a Adis Abeba, queda que provocou a morte de 90 pessoas.
Exame

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Lucro operacional da GOL Linhas Aéreas Inteligentes foi de R$672 milhões no quarto trimestre


Lucro operacional foi de R$672 milhões no quarto trimestre São Paulo, 28 de fevereiro de 2019 - A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. (“GOL” ou “Companhia”), (B3: GOLL4 e NYSE: GOL), a maior companhia aérea doméstica do Brasil, anuncia o resultado consolidado do quarto trimestre de 2018 (4T18) e do acumulado do ano de 2018 (12M18). Todas as informações são apresentadas em IFRS, em Reais (R$) e as comparações referem-se ao quarto trimestre de 2017 (4T17) e do acumulado do ano de 2017 (12M17), exceto quando especificado de outra forma. Sumário Melhoria de indicadores operacionais: o RPK aumentou 3,5% totalizando 10,2 bilhões no 4T18, devido prioritariamente ao crescimento de 3,4% no número de passageiros transportados. A forte demanda e o foco da GOL no gerenciamento de receitas possibilitaram (i) um yield médio por passageiro de 29,14 centavos (R$), um aumento de 6,6% na comparação trimestral, (ii) uma taxa de ocupação média de 81,9%, um aumento de 0,9 p.p. comparada ao 4T17, e (iii) uma pontualidade de 87,5% no 4T18, de acordo com a metodologia Infraero e dados fornecidos pelos principais aeroportos. No ano de 2018, os ASKs aumentaram 2,9%, RPKs aumentaram em 3,2% (principalmente devido ao maior número de passageiros transportados em 2,9%), e os yields cresceram 7,7%. Em 2018, a taxa de ocupação foi de 80,0%, aumento de 0,3 p.p. na comparação anual. Forte crescimento da receita: a combinação de maior demanda, com otimização na precificação, resultou em R$3,2 bilhões de receita líquida trimestral, um crescimento de 10,1% comparativamente ao 4T17. O RASK líquido foi de 25,59 centavos (R$) no 4T18, aumento de 7,5% em comparação ao 4T17. O PRASK líquido aumentou 7,7% em relação ao 4T17, atingindo 23,87 centavos (R$). A tarifa média aumentou 6,7%, de R$313 para R$334. No ano de 2018 a receita líquida foi de R$11,4 bilhões, 10,5% superior na comparação com 2017. A projeção de receita líquida em 2019 é da ordem de R$12,9 bilhões. Cenário de custo controlado: O CASK total no 4T18 foi reduzido em 2,0%, chegando a 20,22 centavos (R$). Em base ex-combustível, o CASK foi reduzido em 19,4%, em razão do resultado operacional com a venda de aeronaves, parcialmente compensado pelos custos de manutenção e outros na devolução das aeronaves, alinhado ao plano de renovação da frota. Nosso CASK, excluindo custos com combustível, e excluindo também os resultados da venda e devolução de aeronaves foi de 14,45 centavos (R$), 3,9% superior ao 4T17. A GOL permanece na liderança de custo na América do Sul pelo 18º ano consecutivo. Margens sólidas: A Companhia, em razão do seu forte controle de custos, gestão da capacidade e gerenciamento dinâmico do yield, obteve resultado operacional positivo pelo 10o trimestre consecutivo, mesmo diante do aumento do preço médio do combustível de aviação de 15,6% no 4T18 em comparação com o 3T18. A combinação de melhores preços, maior demanda, resultado operacional com a venda de aeronaves, parcialmente compensada pelos custos de manutenção na devolução das aeronaves, alinhado ao plano de renovação da frota, permitiu que a margem EBIT da GOL atingisse 21,0% no 4T18. O lucro operacional (EBIT) foi de R$672,4 milhões no trimestre, um aumento de 74,0% em relação ao 4T17 (R$386,3 milhões). A margem EBITDA atingiu 26,6% no 4T18, um acréscimo de 8,4 p.p. na comparação trimestral. A margem EBITDAR foi de 36,3% no 4T18, superior em 10,3 p.p. em relação ao 4T17. No ano de 2018, a margem EBIT foi de 12,3%, um crescimento de 2,7 p.p. em relação a 2017, e o resultado operacional atingiu R$1,4 bilhão. Para 2019, a projeção da GOL para margem EBIT é da ordem de 18%. Fortalecimento do balanço: Enquanto a apreciação do Real frente ao dólar foi de 3,2% no 4T18 (final do período), causando ganhos de R$246,3 milhões, com variações cambiais e monetárias, a relação dívida líquida (excluindo os bônus perpétuos) sobre EBITDA UDM foi de 2,1x em 31/12/2018, menor em relação a 30/9/2018 (3,2x) e melhor em relação a 31/12/2017 (3,0x). A liquidez total, incluindo caixa, aplicações financeiras, caixa restrito e contas a receber, foi de R$3,0 bilhões, estável em comparação a 30/9/2018 e redução de R$207,0 milhões ante um ano atrás. A combinação da geração de fluxo de caixa operacional de R$802,6 milhões no trimestre e manutenção da liquidez melhorou a flexibilidade financeira da Companhia.

Fonte: gol linhas aéreas